28 de set de 2015

Intercâmbio na França: Encontro de intercambistas (ROTEX D1740)

Mais um vídeo meu aqui na França, esse é o meu favorito até agora haehua espero que também gostem, dia 9 de outubro vai ter outro encontro de intercambistas, vamos ter uma viagem de ônibus pro Mont Saint-Michel e acredito e espero que esse encontro seja ainda melhor! Pra continuar acompanhando é só se inscrever lá no meu canal, pra dá uma força clica em gostei e compartilhe com seus amigos também hahah, valeu! Se estiverem gostando do canal vou tentar postar mais vídeos!

16 de set de 2015

3 semanas na França e eu jantei com um cara super famoso

  
Foto: Arquivo Pessoal - Thayná Thoni
23 dias na França e eu ainda estou falando inglês. Algumas sentenças sei falar em francês e consigo também entender um pouco quando falam devagar comigo em Francês, a culpa é minha que continuo adiando, ás vezes olho pros papéis que recebo da escola e vejo tanta palavra que eu não conheço que me desanima, paro e penso "eu nunca vou aprender isso, é muita coisa pra se saber" e é verdade, eu nunca vou aprender nada disso se eu não me esforçar e tentar. Já estou quase completando um mês e decidi que é a hora de começar a me esforçar pra valer, espero que até o meu aniversário (18 de outubro) eu já esteja com um vocabulário melhor.

Mas agora, as novidades... Puxa, muitas, provavelmente nem vou lembrar de tudo, e também nem sei por onde começar... Bom, ok, vamos lá.

A primeira semana na escola foi a pior, eu me sentia excluída, estranha, uma intrusa, agora tem dado uma melhorada, não diria que já tenho amigos até porque amizade se leva tempo para construir mas existem algumas pessoas que posso chamar de colega. Mas é estranho, porque as vezes as pessoas falam comigo e me chamam pras coisas, tipo, sentar com eles e depois, no dia seguinte nem me cumprimentam. As vezes penso que eles devem me achar estranha também, devem pensar coisas do tipo "olha, lá vem a brasileira que fica seguindo a gente pra tudo quanto é lugar" porque eu realmente fico seguindo as pessoas pois nunca sei para onde ir e o que fazer, talvez eles me achem uma chata também porque estou sempre me convidando pras coisas "hey, posso ir com você?" "hey, posso te seguir?" ou as vezes nem peço, simplesmente vou atrás. Pois é galera, ser intercambista exige muita cara de pau.

A família me levou para conhecer a casa de campo deles no fim de semana retrasado e foi uma viagem bastante agradável. Estou morando no centro da cidade e as vezes é bom "fugir" pra um lugar mais calmo. Amo verde, amo mato, amo montanhas, amo paisagens, amo silêncio. Quando tava lá na casa do campo que fica em uma espécie de vila, aproveitei para andar por lá sozinha e encontrei um lugar no alto de um morro, vazio, sem casas por perto, sem ninguém, daí então sentei e fiquei lá simplesmente refletindo sobre a vida, pois as vezes gosto realmente de ter esses momentos reflexivos, tem gente que não gosta, mas eu amo ficar sozinha de vez em quando. Ficar sozinha é diferente de se sentir sozinha, me sentir sozinha eu já não gosto, é por isso que as vezes faz falta ter amigos. É que eu sou um pouco de tudo, acabei de falar ali em cima que amo verde, silêncio, ficar sozinha, etc, mas também adoro morar no centro da cidade, gosto de um barulho e amo ter alguém pra passar o tempo. Depende muito do momento, as vezes só quero ficar trancada no quarto sem fazer nada, as vezes quero ter alguém pra conversar.

Uma das coisas que eu mais sinto falta é de rir. Não é que eu nunca rio aqui, na verdade eu rio sim, mas desde que cheguei aqui ainda não ri até a barriga doer. Ou rir até chorar. Sinto saudades da minha sala de aula, dos meus amigos, dos meus professores. De fazer piada e ver todo mundo rir, e rir junto também, porque me desculpem mas eu sou o tipo de pessoa que ri da própria piada.

É tão difícil falar uma língua estrangeira, quando eu estava no Brasil eu vivia querendo ter alguém pra falar inglês mas tudo que eu quero agora é alguém pra falar português comigo, não há nada como falar na sua língua materna, aquela que você consegue se expressar perfeitamente. Sinto saudades de ser engraçada, de fazer os outros rirem, em português simplesmente fluí naturalmente, tudo me da inspiração pra uma piada, eu sempre tenho a resposta na ponta da língua, mas agora, contar piada em inglês é mais complicado, tenho que falar devagar se não eu me embolo, e até eu concluir a sentença, a piada já perdeu a graça. Até agora, a única piada que eu contei aqui em inglês e realmente deu certo foi a do pinguim. Essa eu fiz com a host family e foi muito engraçado.

Gente, preciso contar isso também, eu tive que cozinhar pra eles! Meu deus, quase que arranquei todos os meus fios de cabelo, eu nunca tinha cozinhado pra ninguém antes, a não ser pra mim e minha irmã mais nova, então, eu fiquei pirada né, mas no final deu tudo certo, fiz macarrão e acredito que eles tenham gostado. Porque não sobrou nada, nem um macarrãozinho sequer pra contar história e eles disseram que adoraram, então, ponto pra mim!!!


12 de setembro de 2015 - BEST NIGHT EVER

Esse dia foi incrível, a família me levou para conhecer Lyon, no dia estava chovendo mas mesmo assim andei com a host mother e host sister pela cidade, elas me mostraram um monte de lugares, foi bem legal, mas o mais legal mesmo ainda estava por vir... De noite, fomos jantar em um restaurante e vocês não vão acreditar mas tinha um cara que é mega famoso aqui na França no mesmo restaurante, Sébastien Chabal, um jogador francês de rugby, mas o mais legal nem é isso, depois de eu e a família terminarmos o jantar, o chef veio na nossa mesa conversou com a gente e depois ele foi pra mesa do Chabal, sentou lá e ficou conversando com ele, aí veio uma outra mulher que trabalha no restaurante falar com a gente, aí disseram que eu era brasileira pra ela e essa mulher virou pro chef e falou "Chef, olha aqui, ela é brasileira" aí o chef que tava conversando com Chabal olhou pra mim e o CHABAL TAMBÉM, ele olhou nos meus olhos, gente, morri, esse cara mega famoso aqui na França sabe que eu existo, ele olhou nos meus olhos, não uma, mas duas vezes, senti até uma conexão, próximo fim de semana tô indo lá na casa dele participar de um churrasco na laje (brinks) mas gente, foi demais, por um momento eu é quem me senti famosa, porque o restaurante parou pra ver "a brasileira", até esse cara super famoso pegou e olhou pra mim, tive meus 5 minutos de fama, INCRÍVEL! Naquele momento senti que nasci pra isso, ser famosa é meu destino, MAKE ME FAMOUS! UHAEUHAHA Esse sim foi um ótimo dia para se estar viva.


Dia 15 de setembro tivemos um "dia de integração" da escola, fomos para um lago e tivemos que fazer um monte de atividade física, e detalhe: EMBAIXO DE CHUVA! Eu já lá não sou fã de tudo que me requer mover um dedo e ainda inventam de fazer esse tal dia de integração logo em um dia chuvoso??... mas era obrigatório, então tive que ir, aqui a escola não é igual no Brasil que a gente pode faltar e fica tudo bem, e a escola ainda tem que dizer que quem for ganha ponto extra, porque se não, do contrário, quase ninguém vai, tipo hoje, tive que ir na escola para assistir apenas UMA aula (de espanhol) se fosse no Brasil é com toda certeza que eu teria faltado, falaria pra minha mãe "ah mãe, amanhã é só uma aula, me deixa faltar" e então eu ficaria em casa, mas aqui é tudo cheio de regrinha, pra faltar eu ia precisar de um bom motivo pra entregar escrito e assinado pelos host parents na escola. E querer ficar em casa dormindo não parece ser um motivo aceitável.

Sinto que estou esquecendo de contar alguma coisa mas já tá bem tarde aqui então é melhor eu encerrar o post por hoje, se eu lembrar de mais alguma coisa pode ter certeza de que venho contar ;)

Me desculpem por não ter postado fotos ainda, tenho bastantes mas a preguiça de passar pro computador, editar e postar... domina! Me acompanhem pelo instagram e snapchat, ambos são @thaynathoni neles é mais fácil de postar, então acabo sempre postando nos dois primeiro, tô sendo bem ativa lá no snap, sempre tô postando algo novo, então, se vocês quiserem ficar por dentro... já sabe né


falows, à bientôt

2 de set de 2015

Première semaine en France

Foto: Arquivo Pessoal - Thayná Thoni

Antes eu estava contando os dias para chegar na França, agora, conto os dias em que já estou aqui. 25 de agosto foi quando tudo começou. E tudo é tão diferente do que eu sempre imaginei. Hoje, completam 7 dias em que estou vivendo essa nova realidade. É um país tão diferente, a cultura, os costumes, a comida, as pessoas. É louco viver e ser parte de uma família que até pouco eu não conhecia. É uma loucura maior ainda viver em um país o qual eu nem sequer falo a língua. Mas se tem uma coisa que eu acho incrível é viver aqui e aprender algo novo cada dia. É estranho quando você se encontra com a família pela primeira vez, não saber como agir, o que dizer, se abraça ou dá dois beijinhos nas bochechas. Os primeiros dias são os mais estranhos. Eu nunca sabia como agir ou o que fazer, então eu os observava e tentava imitar o que eles faziam. Mas mesmo assim, não escapei de cometer algumas gafes. Pensei estar colaborando ao retirar a mesa e acabei descobrindo que iríamos precisar do garfo e faca para o próximo prato. Fiquei na dúvida se eu podia tomar banho pelo segundo dia seguindo e perguntei "posso tomar banho hoje mesmo tendo tomado ontem? sei que vocês franceses não tomam banho todo dia e tals" e recebi como resposta o seguinte "nós tomamos banho todo dia sim". Fui tentar contar uma piada brasileira e percebi que ela não funcionava em inglês, mesmo assim, todos riram para não me deixar tão sem graça. Então, eles são legais. Adoro minha família. Eles são super gente boa. Sentamos todos os dias juntos para almoçar e jantar e conversamos sobre vários assuntos. O que eu acho muito louco aqui é eles comerem pão no almoço e na janta. Quatro coisas são sempre a mesma no almoço e jantar, sempre tem água, pão, queijo e iogurtes, sempre, tipo sempre mesmo. E a comida é tão diferente da brasileira. O gosto é mais fraco, a comida brasileira é mais temperadinha e as coisas também são mais bem passadas. Aqui eles são bem saudáveis, comem muita salada e peixe. E tenho comido de tudo, é para experimentar o novo que eu escolhi fazer intercâmbio, não é? Intercâmbio é totalmente sobre isso, você tem de estar aberto a novas experiências. Essa primeira semana foi ótima. A adaptação tem sido boa. Estou em um outro país e me sinto tão normal, a euforia já passou, a saudades ainda não apertou, então, por enquanto nada de homesick. O jet lag talvez ainda continue, não tenho certeza pois estou sempre dormindo tarde aqui mas no Brasil sempre foi a mesma coisa também...
Nas conversas durante o almoço e jantar cada vez aprendo mais sobre a França e ensino um pouco sobre o Brasil também, falamos sobre as diferenças, sobre a cultura, sobre tudo, é bem legal eles se mostrarem interessados em saber um pouco mais de onde venho e de como era minha vida antes de vir parar na França. Também acho o máximo quando eles perguntam sobre alguma palavra em português.
A família aqui fala inglês pois já moraram alguns anos nos EUA e é em inglês que conversamos, mas algumas coisas mais fáceis e básicas, eles chegam a falar comigo em francês. Quando não entendo alguma coisa eu sorrio e balanço a cabeça #semerro, sempre funciona. É só ser simpática e voilà! 
Acho que a ficha ainda não caiu de que estou na França, tudo mudou mas eu me sinto normal, não me sinto estranha como se não pertencesse aqui. As coisas são muito diferentes mas eu estou ok com isso. Me sinto bem. Estou alegre.
Tenho o meu próprio quarto. Uma cama grande de casal. Uma janela deitada com uma vista maravilhosa. Uma poltrona a qual estou ansiosa para ler um livro em francês sentada nela com a luz do sol brilhando atrás de mim. Adoro aqui, mas se tem uma coisa que acho estranho... A privada fica separada do chuveiro. Tem o toilette, com a privada, papel higiênico e sem lixo. E tem o banheiro com o chuveiro, banheira, pia, lixo (?). Ainda não entendi isso direito. Pra mim o lixo está no lugar errado, deveria estar no toilette, junto com a privada e não com o chuveiro. Esses franceses...
No fim de semana teve o Rotex meeting do meu distrito (1740), que é praticamente um encontro de intercambistas, os franceses que já fizeram intercâmbio (rebounds) e os que estão começando o intercâmbio (inbounds) que é o grupo que eu faço parte. Ficamos em um hotel de frente para um lago, Lac du Chambon, mas os franceses estavam chamando este lago de praia, tipo, oi??
Nós, intercambistas, ocupamos um apartamento de três andares inteiro e foi bem divertido. Ficamos a madrugada inteira acordados, conversando, fazendo nada, rindo, zoando... Em dois dias de Rotex meeting, o total de horas de sono que eu tive foram sete. Dormi três horas no primeiro dia e quatro no segundo. Em compensação, depois do Rotex meeting dormi pra caramba. A volta inteira de carro pra casa, depois quando cheguei, só jantei e fui dormir de novo pra acordar onze horas do dia seguinte. Foi um fim de semana cansativo mas muito divertido. Conheci duas brasileiras e andamos juntas o tempo todo. Elas são demais, rimos muito, conversamos e já estamos até bolando de nos encontrarmos de novo, tipo, ir cada uma na cidade da outra. Vai ser top. Zoamos muito também #brazucas. Era o máximo falar em português sem que os outros entendessem. E zoar as pessoas também. Tinha umas taiwanesas muito engraçadas, zoamos muito com elas, elas disseram coisas em português, fizemos vídeos e essas coisas. Foi o máximo. Já sinto saudades desse fim de semana.
A única parte ruim é a escola, é o pior de tudo. As aulas começaram dia primeiro e agora no início, na verdade nem está tendo aula, é apenas os professores falando o tempo inteiro coisas que não entendo. A escola é gigante também, sinceramente não sei andar sozinha por lá, minha sorte foi ter conhecido Garance um dia antes das aulas começarem, ela é sobrinha da minha 2ª host mom e é um anjo. Ela me ajudou muito esses dias, ela entende um pouco de inglês então tem sido uma amigona. Se ofereceu pra ir comigo pra escola no primeiro dia e no segundo também. Saímos juntas de tarde para fazer compras, almocei no restaurante do pai dela e ela inclusive me convidou para conhecer sua casa. Também me apresentou para uma amiga dela, Luna, que está na mesma classe que eu e apesar dessa amiga dela não falar inglês, foi muito bom tê-la conhecido, ela parece ser super gente boa também e eu a tenho seguido para tudo qualquer canto, mesmo sem trocarmos muitas palavras (por que não conseguimos nos entender) ela tem me ajudado bastante. Com gestos ela tenta me explicar o que devo fazer, para onde devo ir e é legal ela estar me ajudando. Então, Garance e Luna tem sido ótimas comigo e estou muito grata por isso. É realmente bem difícil para eu falar e entender francês, não sei nada além do básico, dos cumprimentos (bonjour, merci, pardon, je m'appelle Thayná). Outra coisa sobre a escola, as carteiras são em dupla e todo mundo vai bem chique, tem menina que vai de saia, vestido e até salto. Várias também usam maquiagem (e forte), então tenho me sentido igual uma batata vestindo moletom e calça jeans e já até liguei pra minha mãe no Brasil pra chorar um dinheirinho pra comprar roupa. No Brasil, sempre reclamei dos uniformes mas agora que não os tenho, queria que tivesse, por que escolher todo dia uma roupa diferente pra usar é um saco.
Já está ficando tarde por aqui, então vou encerrando esse post, acredito que tenha sido um bom resumo da minha primeira semana... logo, logo, venho trazendo mais novidades, fotos, vídeos, tenho muita coisa pra postar ainda, então é só continuar acompanhando!

Me acompanhem também pelo instagram e snapchat, ambos são @thaynathoni

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©